sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Reencontrando


"Que bom ver a sala cheia e sentir no olhar das pessoas que elas estão redescobrindo o prazer de ouvir música." 
(Saulo Silva, designer e coordenador de divulgação do "Elegia ao Violão")

Nosso projeto já está chegando ao seu 5º recital, sendo que até agora estamos retornando a Centros Culturais já visitados em 2011. Estivemos no São Geraldo (11/8), Jardim Guanabara (25/8), Alto Vera Cruz (30/8) e Lindeia/Regina (13/9); no próximo domingo (30/9) estaremos no Centro Cultural Pampulha, a partir das 10h da manhã.

                                               Centro Cultural Alto Vera Cruz - 30/8/2012  - foto de Daniel Protzner

Em todos eles a confirmação de uma premissa do projeto Elegia ao Violão - oportunizar o contato do público com a música clássica, cuja produção em Belo Horizonte raramente ultrapassa as salas tradicionais da região central: até o momento tivemos recitais cheios, inclusive reencontrando pessoas que nos prestigiaram no ano passado e que trouxeram seus próprios convidados.

 Centro Cultural Alto Vera Cruz - 30/8/2012 - foto de Daniel Protzner

Centro Cultural Lindeia/Regina - 13/9/2012 - foto de Daniel Protzner

O apoio dos gestores dos Centros Culturais que já conhecem o projeto não foi nada tímido; recebemos um tratamento prestimoso destes que já consideramos nossos "sócios": Ângelo Andrade, Camila Goulart, Cristiene Carvalho, Jair Azevedo, Randolpho Landim... 
E, se não bastasse a presença, nosso público ainda nos ensejou momentos de consolo - apertos de mão, agradecimentos, abraços e votos de sucesso. Não temos como agradecer por manifestações tão espontâneas e generosas, senão dando continuidade e aperfeiçoamento à nossa iniciativa. 
Ainda há 12 recitais!
Muito obrigado!



quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Enfim, estamos de volta!


No sábado, dia 11 de agosto de 2012, daremos início à nossa segunda temporada, no Centro Cultural São Geraldo às 11hs. Ainda em agosto iremos ao Jardim Guanabara e Alto Vera Cruz e, a seguir, nosso projeto faz sua primeira visita à região do Barreiro, no Centro Cultural Lindéia/Regina.

No programa:

Domenico SCARLATTI: Sonata K. 206 (1753)
Johann Sebastian BACH: Fantasia BWV 997 (cc. 1740)
Luigi LEGNANI: 6 dos 36 Capricci Op. 20 (1822): n. 6, 2, 4, 22, 7, 31
Benjamin BRITTEN: Nocturnal after John Dowland, Op. 70 (1963)
Francisco TÁRREGA: Recuerdos de la Alhambra (1896)

Todos os concertos terão entrada franca.
Reservem um lugar em suas agendas e aguardem: em breve, mais novidades!
sábado, 21 de julho de 2012

Panorama geográfico da temporada 2012 do projeto Elegia ao Violão

Vem aí a segunda temporada do projeto Elegia ao Violão. A partir do dia 11 de Agosto estaremos de volta aos Centros Culturais da Prefeitura de Belo Horizonte, e desta vez visitaremos todos eles! 
Em breve, as datas; não deixe de acompanhar nosso blog!

Veja o mapa navegável aqui.


sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Confissão


"O violão é um instrumento de possibilidades infinitas, onde o fator humano é encontrado em doses generosas: o atrito dos dedos contra as cordas, o fato do intérprete segurá-lo de encontro ao coração, a capacidade de cantar com múltiplas vozes e multifacetado colorido - tudo isso, numa escala íntima, misteriosa, como se fosse de um planeta menor e mais delicado que o nosso, faz com que ele seja, mais do que um mero produtor de sons, um veículo em que todo o ato de fazer música tome um caráter pessoal.
Cada vez mais sinto que os grandes violonistas, não importa o tamanho do público num concerto, tocam como se estivessem se dirigindo somente a uma pessoa, fazendo uma declaração íntima e intransferível." (Fábio Zanon, in: http://aadv.host-ed.net/)

Terminando esta série de recitais, guardamos a impressão de termos favorecido diversos reencontros: entre o público e a riqueza do universo musical do violão; entre o repertório do instrumento (sua força cultural) e seu lugar; entre nós e nossa cidade. Em cada Centro Cultural celebramos o que foi para muitos uma descoberta - o milagre de um instrumento tão corriqueiro, capaz de tanto com o que parecia ser tão pouco.

Tudo isto se tornava particularmente explícito no Estudo n. 9 de Francisco Mignone, com que encerramos cada um dos 9 recitais do projeto, e em cuja seção central há uma evocação à viola caipira. Ali, todo o roteiro do recital, que incluiu polifonia renascentista, música contemporânea, estudos de bravura, spleen e uma elegia oitocentista à desilusão de um coração apaixonado e à morte do violão e de seu universo simbólico -, dizíamos, ali todo o roteiro do recital revelava a anunciada lucidez no renascimento, a transcendência no silêncio.

Um momento confessional e epifânico, a um só tempo. A convergência cultural encarnada no violão - o instrumento intimista por excelência, da música em princípio tão imaterial, delicada, flagrantemente dependente do silêncio, da concentração - nos fez voltar às origens, à família, ao berço, ao começo; a música mediando este reencontro-renascimento, reconciliando estas fantasmagorias.

A todos que participaram, nossos comovidos agradecimentos. Até mais!

(a imagem acima reproduz a pintura "Caipira picando fumo", realizada em 1893 pelo pintor e desenhista paulista Almeida Júnior)

Impressões...




""...E em nossa mente em febre a aranha fia e tece,
Com paciente labor, fantásticas visões..."
Foi exatamente o que me aconteceu ao ouvir, sentir e degustar Ricardo extraindo do violão, histórias, sensações, emoções. Adorei e recomendo!!!"
Márcia Araújo - poetisa e gestora do Centro Cultural Pampulha


"Um repertório instigante, que viaja através da história do instrumento, dando ao público virtuosismo e lirismo em boas doses. Um concerto que certamente vale a pena ouvir."
Stanley Levi - compositor, violonista, professor da Escola de Música da UFMG


"Iniciativa fantástica! Que toque a todos quanto puder, pois esta arte é divina e bela. Parabéns!"
Rodrigo Eloi - artista plástico


"Seu talento e simpatia, acompanhados da boa música com a qual você nos presenteia, deixam nossa vida mais doce e menos áspera na construção dia-a-dia."
Francisco Mendonça - advogado


"Fui ao concerto (...) e, confesso, me surpreendi positivamente com a receptividade do público, o carinho demonstrado por todos, desde os mais jovens até as mentes mais arraigadas a certos paradigmas do campo da arte e da música. O repertório, o tom, a didática, tudo isso encantou a todos nós! Parabéns (...) a toda a equipe que trabalhou para que esse projeto fosse aprovado!"
Aline Labbate Galvão - jornalista


"Foi sensacional. Primeiro pelo seu domínio do instrumento, em seguida, pela ótima reação do público. Belo projeto (...), prova de que todas as comunidades, por mais periféricas que sejam, se sensibilizam com a boa música."
Ângelo Andrade - músico e gestor do Centro Cultural Alto Vera Cruz
segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Tudo começou em Outubro de 2010...



A foto ao lado registra o primeiro recital que fizemos no Centro Cultural Salgado Filho, e foi feita pelo caríssimo Leo Moraes, seu gestor à época (veja o cartaz acima).

Foi num domingo, dia 3 de outubro de 2010, às 11h; uma manhã quente de um dia de eleição. Na plateia, amigos e parentes queridos (alguns que não víamos há anos, inclusive) vieram nos prestigiar ao lado de muitas pessoas da comunidade local que, ao fim da apresentação, nos abordaram relatando a forte impressão que lhes causara aquela primeira experiência com o violão clássico.

Nosso contato com o Centro Cultural Salgado Filho, que fica próximo de nossa residência, se deu inicialmente em função de outro projeto, o "Corda Nova". A acolhida calorosa e entusiasmada do público na ocasião fez com que saíssemos de lá com a cabeça fervilhando ideias, e foi esta experiência que inspirou o projeto "Elegia ao Violão". O apoio deste Centro Cultural na pessoa do Leonardo Moraes, que inclusive nos presenteou com uma carta de recomendação à Fundação Municipal de Cultura, foi certamente decisivo, assim como nos comoveu muitíssimo.

Nada mais apropriado, portanto, que encerrarmos este projeto no local onde tudo começou há pouco mais de um ano atrás - e justamente integrando as comemorações do 3º aniversário do Centro Cultural!

Todos convidados! Amanhã, 6/12/2011, às 19hs, completaremos esta sequencia de 9 recitais em que visitamos as mais diversas regiões da cidade de Belo Horizonte, retornando finalmente ao Salgado Filho.
segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Imagens de Novembro



Só falta mais um recital para o fim deste projeto...




Estas são algumas imagens feitas pelo fotógrafo Daniel Protzner nos recitais realizados este mês. Agradecemos aos amigos que compareceram, ao público e gestores dos Centros Culturais Padre Eustáquio, São Bernardo e Urucuia.


Centro Cultural Padre Eustáquio (11/11/11):




Centro Cultural São Bernardo (18/11/11):







Centro Cultural Urucuia (19/11/11):











Ricardo Marçal

Ricardo Marçal

O violonista belo-horizontino Ricardo Marçal (29) tem se dedicado a uma crescente agenda de concertos pelas mais diversas regiões do Brasil, cativando a simpatia do público e atraindo a atenção de meios de imprensa como os programas “Violões em Foco” e o tradicional “Música e Músicos do Brasil”, ambos da Rádio MEC-FM. É bacharel em Música pela UFMG na classe do professor Fernando Araújo, foi bolsista do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão por dois anos, prossegue seus estudos regulares como aluno particular do aclamado violonista Fábio Zanon e, a convite do maestro Oscar Ghiglia, tem se aperfeiçoado nos cursos anuais de verão da Accademia Musicale Chigiana de Siena, na Itália. Como solista tem se apresentado regularmente em importantes séries por Minas Gerais, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia e São Paulo. Seus projetos para 2012 incluem a 2a temporada do projeto "Elegia ao Violão", uma nova turnê com o quarteto de violões Corda Nova, do qual é membro fundador e uma turnê estadual com o Quarteto de Cordas da família Barros. Como pesquisador, Ricardo está elaborando um trabalho de pesquisa sobre o repertório de música de câmara com violão do início do séc. XIX em parceria com o historiador Gerson Castro e é professor dos cursos de história da música e apreciação musical da Academia de Ideias. Além disso, coordena a criação de uma série de música de câmara nos municípios mineiros de Betim, Brumadinho, Contagem, Crucilândia e Esmeraldas. (4/2012)

Tecnologia do Blogger.

Seguidores