quarta-feira, 24 de agosto de 2011

"Um dia na vida do Sr. K"


Além de contar com peças que epitomizam o início da tradição violonística no renascimento, a decadência do violão na Europa oitocentista e seu "renascimento" no século XX, o programa deste recital conta com a estréia de uma obra especialmente comissionada ao compositor belorizontino Stanley Levi, nosso amigo desde os tempos de graduação. Assim ele se expressou sobre esta sua nova criação, intitulada "Um dia na vida do Sr. K":

"Esta peça está livremente baseada na obra O Castelo, de Kafka. Lá, vemos um personagem perdido num labirinto de caminhos, nenhum deles redentor. Aqui, vemos um Sr. K, que bem pode representar um burocrata ou um operário de nossos tempos, acompanhado ao longo de um dia, dia esse que é um perfeito resumo de todos os demais, porque são todos iguais. A música, harmonicamente ambientada em arquétipos de sonoridade austera, se caracteriza por um alto grau de redundância, para representar a mecanicidade do cotidiano do Sr. K. Ela retrata as horas de um penoso despertar, o trabalho maquinal do meio do dia e o cansaço antes do sono; emolduram essas horas de vigília dois movimentos nos quais o Sr.K se desprende da realidade, para entrar no mundo dos sonhos... serão esses sonhos o último reduto da esperança de humanização ou apenas a reprodução distorcida de sua rotina monótona? A escolha fica a cargo do intérprete, conforme organize de uma maneira ou de outra os movimentos desta obra, intercambiáveis segundo certas regras."

Convidamos a todos para conhecê-la numa de nossas 8 próximas récitas!

0 comentários:

Ricardo Marçal

Ricardo Marçal

O violonista belo-horizontino Ricardo Marçal (29) tem se dedicado a uma crescente agenda de concertos pelas mais diversas regiões do Brasil, cativando a simpatia do público e atraindo a atenção de meios de imprensa como os programas “Violões em Foco” e o tradicional “Música e Músicos do Brasil”, ambos da Rádio MEC-FM. É bacharel em Música pela UFMG na classe do professor Fernando Araújo, foi bolsista do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão por dois anos, prossegue seus estudos regulares como aluno particular do aclamado violonista Fábio Zanon e, a convite do maestro Oscar Ghiglia, tem se aperfeiçoado nos cursos anuais de verão da Accademia Musicale Chigiana de Siena, na Itália. Como solista tem se apresentado regularmente em importantes séries por Minas Gerais, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia e São Paulo. Seus projetos para 2012 incluem a 2a temporada do projeto "Elegia ao Violão", uma nova turnê com o quarteto de violões Corda Nova, do qual é membro fundador e uma turnê estadual com o Quarteto de Cordas da família Barros. Como pesquisador, Ricardo está elaborando um trabalho de pesquisa sobre o repertório de música de câmara com violão do início do séc. XIX em parceria com o historiador Gerson Castro e é professor dos cursos de história da música e apreciação musical da Academia de Ideias. Além disso, coordena a criação de uma série de música de câmara nos municípios mineiros de Betim, Brumadinho, Contagem, Crucilândia e Esmeraldas. (4/2012)

Tecnologia do Blogger.

Seguidores